quarta-feira, 27 de Agosto de 2014

OPINIÃO: A tua verdade, que na verdade é quase sempre a verdadeira


"Meu caro Aly,

Não é a primeira vez que uso a tua caixa de mensagens para te enviar um abraço de solidariedade. Faço-o, não porque nos ligue uma grande amizade (acho que bebemos um café juntos no Império em Bissau), mas por sentir o quão importante tem sido o teu contributo pela causa da nossa terra!

De Bissau, a Bafata, de Gabu a Ziguinchor, de Lisboa a Luanda, é á D.C. que me dirijo sempre que procuro notícias credíveis sobre a GB. Outros aparecem, uns movidos e patrocinados por interesses políticos, outros decidiram-se por defender interesses pessoais, outros ainda apareceram para numa mistura de deuses e demónios, misturarem alhos com bugalhos, política com negócios.

Também já o escrevi, que nem sempre concordo com o que escreves, com o que opinas, mas isso só valoriza e estimula o contraditório. Há porém um facto que me faz estar sempre atento ao que escreves, é saber que o que te move é o bem-estar dos teus concidadãos. Mais do que saber escrever, é saber o que se escreve, e tu sabes! O teu blog é desde á anos a fonte onde se bebe a verdadeira informação sobre a GB. É lá que está a notícia, a tua verdade, mas que na verdade é quase sempre a verdadeira!

M.M."

URGENTE/ÉBOLA: Seis cidadãos provenientes da Guiné-Conacry estão em quarentena na cidade de Gabu, no leste da Guiné-Bissau. AAS

OPINIÃO: Contra as trafulhices


"Carissimo Aly,

Podes estar ciente do orgulho que nos cabe pelo valioso trabalho que tens feito de informar e esclarecer os guineenses sobre os mais vastos acontecimentos que ocorrem no nosso pais.

Estamos também cientes, de que a tua patriotica "missão", para além dos riscos e perigos que acarreta, esta sujeito a criticas e a incompreenssões, principalmente por parte daqueles que, quando apanhados nas suas trafulhices e manigâncias, se sentem escandalosamente "ofendidas".

Porém, deves-te sentir reconfortado e seguir o teu caminho sem pestanejar e continuar a trabalhar em prol do povo guineense que esta do teu lado, e que, na sua mais intima humildade te agradece a tua dedicação e empenho.

Por isso, não percas, nem tempo, nem espaço para responder aos que não merecem, pois apesar de querem negar a evidência que não inventastes, demostram mais uma vez, de que, não são mais do quie reles ladrões de colarinho branco.

Um abraço fraterno.

Ambrosio Gomes – Santa Catarina"

CONTRA A BANDIDAGEM: Movimento ilegal 'Fábrica di Gelo'


"O Povo deve fazer o seu papel - o de vigilante." E, claro, enviar tudo para este email: aaly.silva@gmail.com

'CASO GERADOR': <<<<<<<< Sondagem DC. Vote!

terça-feira, 26 de Agosto de 2014

ESCLARECIMENTO DC


Sobre o caso do suposto (volto a frisar - SUPOSTO) desvio de gerador e equipamentos de frio, encontrados numa propriedade particular e DENUNCIADOS pela polícia, o editor do Ditadura do Consenso vem esclarecer o seguinte:

1 - Em nenhum momento o editor deste blog ACUSOU, DIFAMOU, DENUNCIOU o ex-ministro das Pescas e actual titular da pasta dos Negócios Estrangeiros;

2 - O editor deste blog limitou-se a divulgar uma notícia dada em CONFERÊNCIA DE IMPRENSA, portanto pública;

3 - O editor deste blog, escreveu um artigo de opinião sobre o "SUPOSTO" desvio - anunciado pelas autoridades nacionais. Sim, o editor deste blog convidou o ministro a pôr o seu lugar à disposição do chefe do Governo, e colaborar com a Justiça. E reforçou: em política, tudo tem consequência. Continuo a achar que nunca, em momento algum, esses materiais deveriam ter sido 'guardados' onde foram encontrados e resgatados pela polícia. Ponto.

4 - Que, na falta de condições para recepção dos materiais...estes tenham sido guardados numa propriedade particular, de gente muito próxima do ministro em causa, e com todos os perigos inerentes? E se o armazém em causa fosse assaltado, ou os materiais vandalizados? De quem seria a culpa?

Posto isto, tenho algumas dúvidas que gostaria de ver esclarecidas:

Nas cartas que publiquei, há coisas que NÃO batem certo. Reparem na maneira de escrever, na "nota de imprensa" que publiquei ontem - um português escorreito, partindo da mesma associação. Agora, atentem no outro documento, da mesma associação: um português de 3ª classe. Não me lixem porque eu não sou burro. Essa nota de imprensa foi uma encomenda de muito mau gosto e apenas para proteger alguém que não eu...penso que as próprias autoridades não se deixarão enganar.

Recebi ainda, de terceiros, uma "nota de repúdio da família", que não a do ministro, mas ligada ao armazém em causa. A minha resposta? Não a publico, porque acho-a ofensiva e indiquei a polícia como potencial receptora dessa nota...ou seja, cada um faz o que quer e como o meu blog tem mais visibilidade...isto não é uma lavandaria, não. Que cada um carregue a sua cruz.

Pediram-me ainda que me retratasse e pedisse "desculpas ao senhor embaixador" (leia-se ministro). Fui claro: não peço desculpas coisa nenhuma porque não fiz nada passível disso. E creio que a mensagem passou.

Caros amigos,

Estou a ficar farto de editar o blog. Não tenho paz, estou doente, sou roubado, estou longe da minha terra. Em suma: estou cansado para fazer com que terceiros percebam que este blog é isso mesmo: eu! Não me vergo, ainda que com uma arma apontada à cabeça!!! António Aly silva

Amigos e leitores: Tenham paciência porque estou bastante limitado em termos de materiais de trabalho. Abraço todos. AAS

Governo ordena, mas cada um faz o que bem lhe apetece


"Bom dia rapaz, tudo bem?

Queria perguntar ao PM Domingos Simões Pereira se na realidade aquela tomada de medida de as "grávidas e as crianças" não pagarem as idas ao hospital é mesmo verdade ou não passa de uma brincadeira de mau gosto? Isso porque levei uma criança de 1 ano de idade ao hospital e, qual não foi o meu espanto, a senhora pediu-me "1000 fcfa" para a consulta.

No meu caso, não se trata de dinheiro, mas e a grande maioria da população? Ainda perguntei à senhora sobre o despacho do Governo que isenta grávidas e crianças, mas o que ouvi deixou-me incrédulo: "Meu amigo, ainda temos senhas e só quando acabarem é que passa a ser grátis"...

Não quis acreditar naquilo que ouvia. E pensei que, se houvesse um contentor cheio de senha e AINDA QUE TENHA SIDO UM DESPACHO GOVERNAMENTAL, é possível que os meus bisnetos venham a estar isentos...situações destas, autênticas aberrações, só acontecem mesmo na Guiné-Bissau.

G.H."


NOTA: E porque não FOTOGRAFAR essa senhora, e enviar a foto, ou mesmo gravar um vídeo e apanhá-la em flagrante? O povo deve fazer o seu papel de vigilante. AAS

IMIGRAÇÃO ILEGAL: 45 guineenses ilegais detidos em Melilla


Um grupo de 45 guineenses teria sido apanhado no domingo pelas autoridades espanholas ao tentar entrar neste território encravado em Marrocos.

Os guineenses em causa encontrar-se-iam num centro de acolhimento de imigrantes acolhendo 800 africanos. Os clandestinos teriam sido aliciados por uma rede que os teria levado para o Senegal, Mauritânia e Marrocos tendo seguido de barco para Melilla.

De acordo com a Agência noticiosa da Guiné, citada pela agência Lusa, uma outra etapa do périplo teria sido a Líbia, onde alguns teriam sido mesmo detidos, uma viagem em que as mulheres teriam sido coagidas por traficantes a se prostituirem. Os candidatos à imigração ilegal poderiam ter pago entre um a dois milhões de francos cfa para a viagem entre a Guiné-Bissau e Espanha.

O secretário de Estado guineense das comunidades admite a sua preocupação com o caso. Idelfrides Fernandes promete apoiar os cidadãos em causa, tentando apurar o sucedido junto das embaixadas em Espanha e em Marrocos, não sendo de excluir a intervenção também da embaixada em Portugal. RFI

segunda-feira, 25 de Agosto de 2014

domingo, 24 de Agosto de 2014

Assalto em Bissau


O gabinete do diretor da Unidade de Coordenação da reforma da Função Pública da Guiné-Bissau, José Braima Dafé, foi assaltado tendo sido levado um computador e dois monitores, disse hoje à Lusa fonte do ministério.

O assalto, que já está a ser investigado pela Policia Judiciária, aconteceu na noite de quinta-feira com os assaltantes a levarem um computador portátil de uso pessoal de Braima Dafé e dois monitores afetos ao seu gabinete, acrescentou a fonte.

"Esta é a quarta vez que ladrões fazem assaltos ao ministério [da Função Pública e Reforma do Estado] desde que iniciamos, em 2010, o processo de identificação de funcionários fantasmas", adiantou a fonte do gabinete do ministro da Função Pública. Lusa

Se virem por aí...

ROUBADOS DA MINHA CASA:



sexta-feira, 22 de Agosto de 2014

OPINIÃO do EDITOR: Demita-se, sr. Ministro


A notícia/escândalo da semana deixou Bissau a suspirar por mais um caso de polícia que nunca chegará a sê-lo. O caso do suposto desvio, pelo ex-ministro das Pescas e actual titular da pasta dos Negócios Estrangeiros, Mário Lopes da Rosa, de um gerador e outros equipamentos de frio que eram destinados a um projecto. Diga-se, em abono apenas e só da verdade, que este modus operandi existe desde a nossa fatídica independência, há 40 anos! - mas não é por isso que vamos continuar a tolerar abusos desses...

Sr. Ministro Mário Lopes da Rosa: ponha o lugar à disposição do Primeiro-Ministro. Este assunto está a deixar o Governo da Guiné-Bissau bastante desconfortável junto dos seus parceiros de desenvolvimento. Demita-se e colabore com as autoridades. Faça algo útil agora que o mal está feito.

Na política, tudo tem consequência, e esta irresponsabilidade merece uma demissão. Até porque estamos a falar de um ministro de Estado! AAS


100 milhões de euros para linha de alta tensão

Lusa

A Guiné-Bissau necessita de 100 milhões de euros, para construir 219 quilómetros de linha de alta tensão, para transportar para o país a eletricidade que será produzida a partir do próximo ano na barragem de Kaleta, na Guiné-Conacri.

A informação foi hoje avançada à imprensa por Inussa Baldé, diretor-geral dos Recursos Hídricos do Ministério dos Recursos Naturais e ponto focal na Guiné-Bissau da Organização para o Aproveitamento do Rio Gâmbia (OMVG, em sigla francesa).

Vários peritos e elementos das localidades guineenses onde está previsto passar a linha de alta tensão estão hoje reunidos em Bissau para avaliar o impacto da construção nas zonas de Bafatá, Saltinho, Bambadinca, Mansoa, Farim e Bissau.

Inussa Baldé afirmou que até outubro será lançado o concurso internacional para a construção dos 219 quilómetros de linha de transporte de energia já que em agosto de 2015 a primeira turbina da barragem de Kaleta entrará em funcionamento.

"Além da linha que traz energia, o país terá que ter postos de acolhimento e redistribuição da corrente elétrica", observou Baldé, acrescentando que a União Europeia e o Banco Mundial estão dispostos a apoiar a iniciativa. Em pleno funcionamento, a barragem de Kaleta irá produzir cerca de 900 gigawatts/hora por ano.

A partir de agosto de 2015, com uma turbina, estarão já disponíveis 200 megawatts de energia pronta a ser consumida nos quatro países da OMVG (Guiné-Bissau, Senegal, Gâmbia e Guiné-Conacri).

Antes do final do próximo ano será iniciado o projeto de construção da segunda barragem no quadro da OMVG em Sambangalou (no Senegal), adiantou Inussa Baldé, explicando que com as duas infraestruturas em funcionamento e com os cabos de interconexão ligados, a Guiné-Bissau terá 40 por cento das suas necessidades energéticas resolvidas.

De acordo com o responsável, a energia a ser produzida pelas duas barragens "é limpa, por ser hidroelétrica", ao contrário da que agora é produzida a partir de combustíveis fosseis - o que, disse, irá permitir a Guiné-Bissau poupar 13 biliões de francos CFA/ano utilizados na compra do gasóleo e derivados.

Inussa Baldé enalteceu igualmente o facto de a energia a ser produzida ser também mais barata, por custar apenas 32 francos CFA (0,5 euro) por cada quilowatt. A Empresa de Eletricidade e Agua da Guiné-Bissau (EAGB) cobra 380 francos CFA (0,58 euro) por quilowatt de energia.

NOTA: A CEDEAO podia pagar essa infraestrutura, já que se chegou à frente no golpe de estado de 12 de abril...AAS

quinta-feira, 21 de Agosto de 2014

ELECTRICIDADE: Guiné-Bissau analisa impacto da construção de linha de alta tensão


A Guiné-Bissau vai analisar o impacto da construção de uma linha de alta tensão para abastecer o país com eletricidade produzida no âmbito do projeto de aproveitamento do rio Gâmbia, que junta outros três países daquela região, anunciou o governo guineense.

A reunião nacional de validação do plano ambiental e social atualizado está marcada para sexta-feira, num hotel em Bissau, e é um encontro semelhante ao que tem decorrido nos países vizinhos - Senegal, Gâmbia e Guiné-Conacri.

"Essas reuniões estão a ser levadas a cabo com alguma urgência, no sentido de se viabilizar o lançamento dos concursos para a construção da linha", tendo em conta que a produção de energia deverá arrancar "nos finais do primeiro semestre de 2015", explicou o ministro dos Recursos Naturais da Guiné-Bissau, Daniel Gomes, em comunicado.

A Organização para o Aproveitamento do Rio Gâmbia (OMVG, na sigla francesa) tem em curso a construção da barragem de Kaleta, na Guiné-Conacri, e tem um contrato assinado para a construção de uma segunda barragem em Sambagalou - localizada no Senegal, mas com parte da albufeira de 185 quilómetros quadrados na Guiné-Conacri.

Os estudos de impacto ambiental e social, como o que vai ser analisado na sexta-feira, em Bissau, "são considerados imprescindíveis pelos parceiros técnicos e financeiros para a construção da linha e respetivos postos de transformação, que irão viabilizar a utilização dessa energia", destacou Daniel Gomes.

O governante guineense é atualmente o presidente em exercício do conselho de ministros da OMVG. A organização foi criada em 1978 para responder às necessidades de energia, segurança alimentar e comunicações dos quatro países envolvidos. Lusa

Miguel Trovoada promete "grande determinação" como representante da ONU na Guiné-Bissau


O novo representante especial do secretário-geral da Nações Unidas na Guiné-Bissau, Miguel Trovoada, prometeu hoje, à chegada ao país, empenhar-se com "grande determinação" na "estabilização e progresso" do estado guineense.

"Ao aceitar [as novas funções], fi-lo com grande determinação de corresponder a um convite que me honrou", referiu o antigo primeiro-ministro e presidente de São Tomé e Príncipe numa curta declaração aos jornalistas no aeroporto de Bissau, onde aterrou num voo comercial, pouco depois da 01:00 (mais uma hora em Lisboa).

Miguel Trovoada mostrou-se satisfeito em poder apoiar "a ação que a comunidade internacional vem defendendo para a estabilização e progresso da Guiné-Bissau", tanto mais que se trata "de um país e de um povo" ao qual está "particularmente ligado por razões de amizade muito antigas." Lusa

quarta-feira, 20 de Agosto de 2014

ASSALTO: Balanço geral


Agora é definitivo. Roubaram-me quase todos os meus materiais de trabalho, a saber:

- Computador portátil ACER preto
- 4 telemóveis (2 BlackBerry, dois Nokia)
- Máquina de filmar JVC ULTRA HD
- Gravador de voz SAMSUNG
- 2 relógios (marcas Police e Tommy Hilfigger)
- Mochila-trolley 'Berg'


AGENTE DA PJ FAZ O SEU TRABALHO

Dois agentes da PJ estiveram hoje na minha casa. Fizeram perguntas e recolheram impressões digitais. Foram bastante profissionais e confio no seu trabalho. AAS

DOCUMENTÁRIO: Água para Tabatô



"ÁGUA PARA TABATÔ, documentário de Paulo Carneiro no Festival de Cinema da Figueira da Foz e no CineEco Festival Int. de Cinema Ambiental em Seia."

Água para Tabatô terá a sua estreia nacional nos festivais que decorrem de 8 a 14 de Setembro e de 11 a 18 de Outubro, respectivamente.

É o primeiro documentário de média duração (45min) do realizador e conta a história de uma equipa de rodagem que sofre um naufrágio durante a realização de um filme na Guiné-Bissau. Este é o seu segundo filme depois da curta-documental Oh Johny ter passado por mais de 20 festivais nacionais e interncionais de cinema e ter vencido o prémio Jovens Criadores 2012, atribuído pelo Governo de Portugal e pelo CPAI.

sinopse

Partimos para a Guiné-Bissau, África, para a rodagem de um filme. Sou um primeiro assistente.
Filmamos na capital Bissau. Ao terceiro dia partimos para Bolama, ilha no arquipélago dos Bijagós e ex-capital do país até 1941.

Viajamos de barco. Vai cheio. Pessoas de Bolama, Bissau, Bafatá e Tabatô. Animais: galinhas, cabras, porcos e patos.
Estamos na África Ocidental e o oceano separa-nos dos Bijagós em cerca de 30 milhas náuticas, o que equivale a aproximadamente 2 horas de viagem.

Começam a surgir problemas na plataforma da embarcação. São 23 horas, paramos. Mandam-nos vestir os coletes salva-vidas. Não consigo deixar de filmar...

Veja o trailer: https://vimeo.com/90962829

terça-feira, 19 de Agosto de 2014

PALOP/GUINÉ-BISSAU: Confederação empresarial dos PALOP apostada no relançamento da Guiné-Bissau


O presidente da Confederação Empresarial dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), Francisco Viana, disse hoje em Bissau que a organização está apostada em ajudar a relançar a atividade económica da Guiné-Bissau. Franciso Viana foi recebido em audiência pelo presidente guineense, José Mário Vaz, a quem disse ter transmitido as intenções e os projetos que a organização empresarial lusófona tem para o país.

O facto de o presidente guineense ter sido ministro das Finanças e empresário é motivo de encorajamento para a Confederação encarar novos desafios na Guiné-Bissau, sublinhou o líder da organização. De acordo com Francisco Viana, a Confederação quer fazer da Guiné-Bissau uma "plataforma de negócios" dos restantes países lusófonos para a CEDEAO (Comunidade Económica dos Estados da Africa Ocidental) com "projetos concretos".

Viana apontou a capacitação de quadros, os projetos de infraestruturação na Guiné-Bissau, nomeadamente a construção de estradas e pontes, como alicerces para a ambicionada plataforma de negócios. "Se estivermos a falar numa perspetiva regional, os primeiros projetos seriam as infraestruturas. Há que avançar com estradas, pontes, e sem dúvida nenhuma, com a capacitação das associações empresariais e do próprio empresário", notou Francisco Viana.

A nível local, o presidente da Confederação Empresarial dos PALOP diz ser preciso maximizar as potencialidades da Guiné-Bissau nos domínios do turismo, pesca, produção de caju e arroz. Francisco Viana afirma ser necessário avaliar os pontos fortes de cada um dos países, desenvolvê-los e incrementar as trocas comerciais entre todos no espaço lusófono.

Em março, Francisco Viana, na qualidade de vice-presidente da Confederação Empresarial da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) rubricou um acordo com a Câmara Municipal de Bissau com vista à criação de um Centro Internacional de Negócios, a construção de um matadouro e um terminal rodoviário na capital. Lusa

OPINIÃO: Será que o ébola tem uma sombra?


É bom e aconselhável que se tomem medidas preventivas contra a Ébola que, pelo vistos, se alastra na nossa costa ocidental. É igualmente bom e recomendável que se faça tudo o que fôr possível, para proteger a saúde de todos nós.
Mas ao ler o artigo “ Alerta Geral/Ébola: Governo proíbe cerimónias”, fiquei um tanto ou quanto pensativo e apreensivo ao contemplar esta passagem da Lusa:

“Em cinco meses, a epidemia de Ébola na África ocidental, a pior desde a descoberta da doença em 1976, causou 1.145 mortes, de acordo com o último relatório da Organização Mundial de Saúde de 13 de agosto: 380 na Guiné Conacri, 413 na Libéria, 348 na Serra Leoa e quatro na Nigéria.”

Não quero de modo nenhum menosprezar esta doença ou o número de vítimas por ela causada, mas uma pequena comparação com o paludismo, já reduz um pouco o pânico que está a ser instalado pela Ébola.
Quantas pessoas foram já vitimadas pelo paludismo nos últimos 5 meses na Guiné Conacri, Libéria, Serra Leoa e Nigéria? 300.000? 600.000? 1.000. 000?

A OMS que nos forneça os dados exactos, para que possamos ter uma noção do impacto desta epidemia.
Ou será que todo este emaranhado da Ébola estará ligado à tentativa de se provocar uma nova pandemia, onde novos medicamento ou novas vacinas, de certas empresas farmacêuticas, irão fazer o negócio do século?
É bem possivel que tudo seja (e até gostaria que fosse) apenas uma simples desconfiança minha, mas a experiência obriga-me a estar sempre atento, como no caso da propalada gripe suína, que no fim de tudo mostrou que nada mais era do que um imenso negócio da indústria farmacêutica.

E quem é que nos afiança que desta vez não é a mesma coisa? Há factos que não estão a “bater certo”. Querem exemplos?

1. O alarido é enormíssimo, tendo em conta o número de vítimas (confirmado por quem?).
2. Os americanos infectados, que foram tratados nos EUA com o novo medicamento, sobreviveram.
3. A empresa (MappBio) que produz esse novo medicamento (ZMapp) é americana.
4. O medicamento ZMapp, que se diz ter sido descoberto em Janeiro de 2014, já existia em Agosto de 2013, com a designação MB003.

Querem saber o que me faz ficar cada vez ainda mais “burro”? Aqui têm: http://www.google.com/patents/US20120251502
Porque razão é que o governo Americano, desde 2010, é dono desta patente sobre o EboBun, uma nova estirpe do vírus da Ébola, isolada de pacientes ugandeses. Esta estirpe no entanto, para sossegar os mais apreensivos, diz-se ser diferente desta que está a assolar a nossa costa ocidental.

Às vezes até quero ser de novo um analfabeto, para que possa poupar os meus órgãos de tantos desequilíbrios hormonais e dedicar mais tempo à descontração natural. Valha-nos Deus.

Quem quiser se informar mais, disponho-lhe estas fontes:

http://www.mappbio.com/
http://www.leafbio.com/
http://de.wikipedia.org/wiki/Rizin
http://www.mappbio.com/zmapinfo.pdf
http://www.stripes.com/news/zmapp-feds-military-had-role-in-new-drug-given-to-american-ebola-patients-1.296788
http://www.forbes.com/sites/davidkroll/2014/08/05/ebola-secret-serum-small-biopharma-the-army-and-big-tobacco/

Dr. Manuel Mendonça

Uma decisão que se aplaude


SALVADOR PINTO DA FRANÇA: "Vou embora cheio de pena, cheio de Guiné no coração. Espero voltar um dia."

O Governo da Guiné-Bissau atribuiu hoje um diploma de mérito ao cônsul de Portugal em Bissau, Salvador Pinto da França, que cessa funções após quatro anos em que também foi primeiro secretário da embaixada portuguesa. O diploma foi entregue pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Mário Lopes da Rosa, numa cerimónia no Palácio do Governo em que enalteceu o «serviço bastante eficaz» prestado pelo diplomata português na Guiné-Bissau.

Dirigindo-se ao homenageado, Mário Lopes da Rosa disse que o governo guineense agraciou «alguém que o merece».
«Estamos convencidos que o diploma atribuído é bem entregue porque a pessoa que o recebe é bem conhecida no nosso meio», afirmou o ministro dos Negócios Estrangeiros guineense.

O governante destacou o trabalho desenvolvido pelo diplomata enquanto cônsul de Portugal, mas também o contributo na vertente política para o estreitamento das relações entre Bissau e Lisboa na qualidade de primeiro secretário da embaixada.

«As relações existentes entre os dois povos e Estados são dinamizadas pelas pessoas. Ele é um dos homens que nós entendemos que seria bom ser agraciado neste momento de despedida o que testemunha o trabalho feito pelo desenvolvimento em prol dos nossos países», observou o chefe da diplomacia guineense.
Visivelmente emocionado com o gesto, Salvador Pinto da França, que deve deixar Bissau esta quinta-feira, disse que leva o país no coração.

«Vou embora cheio de pena, cheio de Guiné no coração. Foi uma honra puder ter contribuído para estreitar a relação [entre a Guiné-Bissau e Portugal], espero voltar um dia», afirmou. O diplomata português acrescentou ter ficado honrado com a homenagem das autoridades da Guiné-Bissau. «Fico muito honrado com o gesto que decidiram fazer», destacou Salvador Pinto da França. Lisa

Luz ka na bai mas...


O ex-ministro das Pescas e Economia Marítima da Guiné-Bissau durante o período de transição que terminou em Julho, terá desviado um lote de equipamentos desta instituição, entre os quais um grupo gerador e outros equipamentos frigoríficos. A notícia foi avançada à PNN esta segunda-feira, 18 de Agosto, em conferência de imprensa, pelo porta-voz do Ministério da Administração Interna, Samuel Fernandes.

«Podemos dizer que a Polícia de Investigação Criminal está a fazer o trabalho sobre este grupo gerador. Assim que forem concluídas as investigações o processo será encaminhado para o Ministério Público, para os devidos efeitos», referiu. O responsável não avançou detalhes sobre o assunto mas considerou esta atitude como um acto «vergonhoso» para administração pública guineense.

O grupo gerador tinha sido fornecido ao Governo da Guiné-Bissau através da empresa «Koreia OCEANAID», destinado a um projecto de pesca na região de Biombo, norte do país, concretamente na povoação de Sidja. Os materiais em causa compreendem um grupo gerador e dois frigoríficos, encontrados na Rua 10, no Bairro de Chão de Papel Varela, num armazém da sogra do actual ministro dos Negócios Estrangeiros.

Os equipamentos recuperados encontram-se agora nas instalações do Ministério da Administração Interna, esperando novas instruções sobre o desfecho do caso. O assunto já é do conhecimento do Primeiro-ministro da Guiné-Bissau, Domingos Simões Pereira.

O porta-voz do Ministério da Administração Interna revelou que o Comissário da Polícia de Ordem Pública para a Província Leste, António Urate, desviou géneros alimentícios que eram destinados às unidades dos agentes da ordem pública, em Bafatá e Gabu. PNN

NOTA: O "ex-ministro das Pescas" é apenas o actual ministro dos Negócios Estrangeiros, Mário Lopes da Rosa. AAS

Carta para o ladrão que hoje assaltou a minha casa


Não sei quem és, o que é pena. Não te prometo uma recompensa, não, nada disso mas ficaria bastante feliz se conseguisse apenas que me devolvesses o computador - ESTÁ LÁ TODO O MEU LIVRO, caramba! Milhares de caracteres - mais de duzentos mil para ser mais preciso. Fica com a máquina de filmar, com o gravador de voz, com os dois relógios, com os óculos Carrera, com o saco com castanha de caju (pelo menos tens bom paladar, seu filho de uma grande p&#%!!!), mas, por amor que tens ao teu deus, devolve-me o COMPUTADOR!!! AAS

Assaltaram a minha casa hoje. Levaram o computador, a máquina de filmar, dois relógios. É a minha vida a andar para trás. E vou a caminho da polícia judiciária. AAS

segunda-feira, 18 de Agosto de 2014

ALERTA GERAL/ÉBOLA: Governo proíbe cerimónias


Os ministérios da Saúde e Administração Interna da Guiné-Bissau difundiram hoje um despacho conjunto que proíbe várias cerimónias públicas e impõe maior controlo da água para consumo, no âmbito do programa de prevenção do Ébola lançado pelo governo.

Assim, fica interdita "a realização de atos que carretam a aglomeração de elevado número de pessoas", tais como o "fanado", cerimónia animista de iniciação na vida adulta, o "toca-tchoro", reunião de familiares e amigos para velar um morto, o "gâmo", ritual de oração islâmico, e "lumos", feiras populares realizadas nas ruas das povoações.

Batizados, piqueniques e outras atividades não especificadas são igualmente proibidas "até comunicação em contrário", de acordo com o despacho datado de 13 de agosto, mas difundido hoje em órgãos de comunicação social como a Radiodifusão Nacional (RDN) da Guiné-Bissau.

A intenção de impedir aglomerados de população para evitar a importação de algum caso de Ébola para o país e eventual contágio já tinha sido anunciada na última semana pelo primeiro-ministro e torna-se agora efetiva com a divulgação do despacho dos dois ministérios. O documento proíbe ainda atividades em que "são manipulados e consumidos alimentos de diversa proveniência e propensos a contactos humanos vários".

Noutro ponto, determina-se que "as unidades de empacotamento e venda de água potável" só o poderão continuar a fazer mediante o "controlo e acompanhamento" do Laboratório Nacional de Saúde Pública. "Eventuais desrespeitos às orientações emanadas merecerão a devida resposta por parte das autoridades competentes que mais não visam do que proteger a saúde das populações", conclui o despacho.

O programa de emergência sanitária anunciado na última semana pelo governo da Guiné-Bissau incluiu ainda o encerramento das fronteiras com a Guiné-Conacri e a preparação de salas de algumas unidades de saúde para o eventual isolamento de algum caso suspeito de Ébola.

Em cinco meses, a epidemia de Ébola na África ocidental, a pior desde a descoberta da doença em 1976, causou 1.145 mortes, de acordo com o último relatório da Organização Mundial de Saúde de 13 de agosto: 380 na Guiné Conacri, 413 na Libéria, 348 na Serra Leoa e quatro na Nigéria. Lusa

JOMAV quer "diversidade étnica" nas estruturas do batalhão da presidência


O presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, quer todas as etnias do país nas estruturas de segurança no Palácio da Presidência e já informou as chefias militares dessa pretensão, disseram no sábado à Lusa fontes militares. "Há mais de três semanas que o Presidente comunicou às chefias militares que quer mudanças nas estruturas de segurança da Presidência", adiantou à Lusa uma fonte militar, sublinhando que o chefe do Estado-Maior das Forças Armadas, António Indjai "recebeu a medida com tranquilidade".

Ao nomear o general Beaguê Nan Tan como chefe da Casa-Militar da Presidência, o chefe de Estado guineense deu orientações no sentido de o corpo de segurança "sofrer profundas mudanças" a começar pela reestruturação do Batalhão da Presidência. Fontes militares indicaram que José Mário Vaz orientou Biaguê Nan Tan no sentido de promover "um equilíbrio étnico" na composição do Batalhão, integrado por cerca de 600 homens, para que passasse a contar com militares "de todas as etnias" do país.

A antiga estrutura era dominada por membros da etnia Balanta (uma das mais representativas do país), precisaram as fontes contactadas pela Lusa. Nesse quadro, grupos de militares da Marinha, do Exército, da Força Aérea e do Estado-Maior General das Forças Armadas foram indigitados para integrarem o Batalhão da Presidência desde finais de julho, operação ainda em curso, sublinharam as mesmas fontes.

Além de mudanças ao nível do batalhão militar, ao nível dos serviços de segurança (agentes secretos) também ocorrem transferências de pessoal com uns a regressarem ao Ministério da Administração Interna e outros para a direção-geral da Segurança do Estado. As mudanças também se registaram nos serviços da escolta presidencial adiantaram as fontes militares que consideraram normais as movimentações decretadas pelo chefe de Estado. Lusa

ULTRAJE NACIONAL ou a falta de respeito da CEDEAO


O passaporte CEDEAO adoptado pela Guiné-Bissau, para além do erro apontado pelo DC, tem mais que se lhe diga. Todos os países CEDEAO possuidores do mesmo documento FIZERAM QUESTÃO de ter na capa o seu símbolo nacional. E nós? O certo é que esse passaporte passou entre técnicos e, depois, foi aprovado em conselho de ministros... Nada, ninguém reparou em nada, menos ainda nesse símbolo foleiro que está na capa e que ninguém sabe ao certo o que representa...

Querem mais? Então cá vai: na capa, em francês - não há acentos gráficos.Que deveria ser RÉPUBLIQUE DE GUINÉE-BISSAU...


CASO PASSAPORTES CEDEAO O parente pobre fica sempre mal na fotografia

Agora, comparem com os restantes países da mesma organização...:



É o que acontece quando um país não se dá ao respeito. Devíamos protestar junto da CEDEAO para que tudo isso fosse corrigido o mais rapidamente possível. Se alguém, ou um país nessa organização com pés de barro pensa que tratará mal a Guiné-Bissau diante dos meus olhos, estará perfeitamente enganado! AAS

ÉBOLA: Reportagem num país com medo



O rio Corubal, fronteira Leste entre a Guiné-Conacri e a Guiné-Bissau, é atravessado numa jangada com o motor avariado. É a força de braços de meia-dúzia de homens que vivem numa aldeia das imediações, no meio da floresta, que impulsiona a plataforma ligada por roldanas a um cabo esticado entre as duas margens.

O cenário retrata o esquecimento a que estão votadas as zonas fronteiriças pelas autoridades dos dois países onde as travessias são feitas de trilhos e caminhos de terra batida especialmente mal tratados na época das chuvas, entre maio e novembro. Mas no meio de tanta precariedade e isolamento, do lado lusófono, um polícia já espera por nós com um caneco de água e lixívia para lavarmos as mãos. "Há uma ordem que nos chegou aqui por causa da epidemia que está a assolar a Guiné-Conacri", explica.

"Quando alguém sai da vizinha república, tem que desinfectar as mãos antes de entrar [na Guiné-Bissau]". Foi assim durante pelo menos dois meses, até as autoridades de Bissau decidirem ir mais além: na terça-feira encerraram de vez as fronteiras com o país vizinho afetado pela epidemia de Ébola. Na jangada da fronteira de Fulamore chegava a haver dias em que quase ninguém passava, mas a circulação intensificava-se aos fins-de-semana por causa dos 'lumos', as feiras nas principais povoações de um lado e outro da fronteira. Estes mercados contribuíram para o receio de a Guiné-Bissau poder importar o vírus, pelo que, para além do fecho das fronteiras com Conacri, o governo prepara um decreto que proíbe atividades que gerem grandes aglomerações, como os 'lumos'.

Depois, chega-se a Pitche onde há um novo posto de controlo fronteiriço. Os guardas querem saber "como estão as coisas do outro lado, por causa do Ébola" e o rol de perguntas mostra que têm dúvidas sobre o vírus e o modo de contágio - e quase de forma reflexa afastam-se quando lhes estendemos a mão. Nestas paragens, um posto fronteiriço nunca vem só, tanto de um lado, como de outro. Quem sai da Guiné-Conacri tem que parar duas ou três vezes, consoante os documentos que precise de visar. Nenhuma das cordas que bloqueiam a estrada é levantada sem falar com guardas:

- "Como é que vai? Está bem?", são perguntas padrão de um controlo de circulação informal que sempre existiu e cuja eficácia é agora posta à prova. Mamadu Jao, antropólogo da Guiné-Bissau especialista em estudos africanos, disse na quinta-feira à Lusa que o encerramento de fronteiras decidido pelo governo vai fechar as estradas principais, mas "vai aumentar a pressão nas vias não oficiais", onde se cruza a fronteira a pé e de velocípedes sem qualquer controlo. Este e outros riscos - como a impopularidade da medida, que vai prejudicar o rendimento de famílias que vendem nos "lumos" - devem ser "acautelados" pelas autoridades para que o fecho de fronteiras "tenha eficácia".

O governo da Guiné-Bissau está a tentar angariar 520 mil euros para aplicar um plano de contingência para o Ébola, aprovado em conselho de ministros no último dia de julho. Para os 45 pontos de entrada no país, o objetivo é formar 106 paramilitares e 630 membros de equipas de saúde e dar-lhes mais recursos e equipamento. A principal estratégia do plano passa por dar informação e "envolver toda a população" na prevenção e vigilância em relação a eventuais casos" para que possam ser seguidos pelos técnicos de saúde. O pior surto de sempre de Ébola no mundo, que eclodiu na África Ocidental, matou até agora 1.069 pessoas e provocou o alarme internacional, levando várias grandes companhias aéreas a cortar voos para a região. CM

ESTEJAM PREPARADOS! (Parte II)